Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

dez segundos

uma mulher, sempre à procura de se melhorar, com algumas coisas para dar e muito para receber.

dez segundos

uma mulher, sempre à procura de se melhorar, com algumas coisas para dar e muito para receber.

29
Mai17

os meus meninos - 1

miss queer

eu tenho muitos meninos. é injusto para eles que vos fale só do K., quando todos eles são tão especiais!

importa referir que alguns dos meus meninos têm diagnósticos de dislexia, disortografia, discalculia, défice de atenção, hiperatividade e doenças do espetro do autismo. sim, são escolhidos a dedo! também é importante dizer que alguns são acompanhados por psicólogos.

não vou falar de todos num só post, uma vez que ainda são alguns.

introdução feita, passemos a falar dos meus meninos. ou das minhas meninas, vou começar pelas meninas!

 

L. - 21 anos. depois de alguns anos sem estudar, em que andou a trabalhar para juntar dinheiro, decidiu ir este ano para a faculdade. trabalha de manhã e desistiu do trabalho à tarde para poder preparar-se para o exame. vive só com a mãe, pois o pai abandonou-as. não tem qualquer diagnóstico e eu também não a diagnostico com nada (sim, há casos em que não há diagnósticos feitos e que sou eu que percebo que existe algum problema). é das poucas alunas que lê por prazer, o que torna as explicações muito mais interessantes. mas tem um grande problema... falta de autoestima! está sempre a dizer que não sabe responder, que os textos que constrói não estão bons... e eu a imitá-la quando ela responde corretamente («não sei respondeeeeer!») e quando termino de ler os textos («isto está uma porcariaaaa!»). mas é em tom de brincadeira e a rir! rever as cantigas de amigo/amor/escárnio e maldizer com ela foi uma diversão.  quem me dera que alunos de 12.º ano soubessem tão bem a matéria quanto ela - faço questão de lho dizer. mas afinal tem mais dois problemas: o nome (não articulo os «Ls»), recuso-me a dizer o nome dela! (mas ela ainda não reparou que não o digo); e quando estou a ler os textos dela, fica a olhar para mim com ar de secretária porno. não se faz! mas, para resumir, esta é a minha aluna mais normal. as nossas explicações são como uma conversa entre amigas, com muita brincadeira pelo meio.

 

M. - 16 anos. lembram-se da minha sobrinha? pois, é a M.! desculpem, mas eu queria mostrar-vos o que ela escreveu e não queria dizer o que fazia! passando à frente. pertence à classe média-alta. no entanto, tem poucos hábitos de higiene, andando quase sempre com o cabelo oleoso. quando nos conhecemos, era uma miúda tímida, sem amigos, com a autoestima muito baixa. a M. quase não falava comigo ou com os meus patrões, que já conhecia há mais tempo. poucos meses depois, a M. parecia outra pessoa. a minha patroa diz que eu fiz um milagre com ela. tornou-se mais descontraída, mais extrovertida, já tem amigos e a autoestima subiu! ainda tem alguns complexos por usar óculos (tem muita graduação) e por a irmã ser o cisne enquanto ela é o patinho feio. quanto à escola... bem, ela ainda se desresponsabiliza e diz sempre que a culpa é dos professores. MAS diz que tudo o que sabe de português é graças a mim, fico orgulhosa. nas nossas explicações há espaço para falar sobre tudo: ela fala-me da pílula que queria tomar e não a deixam, fala-me dos colegas, fala-me da relação com a irmã... claro que eu aproveito tudo isso para a fazer escrever uns textos e ela lá vai aceitando - reclama, mas faz. a nossa relação não é de uma professora e de aluna, está mais para a de irmãs, em que eu lhe vou explicando a matéria e ela vai ouvindo, tendo espaço para desabafar sempre que precisa. o que é todas as explicações.

 

amanhã há mais, que isto já vai longo...

20 comentários

Comentar post