Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

dez segundos

uma mulher, sempre à procura de se melhorar, com algumas coisas para dar e muito para receber.

dez segundos

uma mulher, sempre à procura de se melhorar, com algumas coisas para dar e muito para receber.

26
Jun17

velório (parte 2)

miss queer

entre o dia em que soubémos que a B. e o A. tinham morrido no incêndio e o dia do velório, falámos (eu e a minha mãe) várias vezes com cunhados, irmãos e sobrinhos deles.

só no dia do velório é que estive com os filhos. lembram-se do rapaz que me beijou no casamento? os filhos são a namorada e o cunhado dele.

mal cheguei, fui ter com o filho. recebeu-me com um grande sorriso e atirou-se a mim.

quando vi a filha, fui ter com ela. acho que ainda guarda algum rancor pelo que aconteceu no casamento...

mas voltando ao que me chocou, além do D. se ter atirado a mim no velório dos pais.

não foi não haver ninguém vestido de preto. também não foi não haver ninguém a chorar. como a filha disse, eles eram pessoas alegres e não queriam que o fizéssemos... apesar de haver limites.

e eu aceitaria perfeitamente se tivessem querido fazer uma cerimónia para celebrar a vida da B. e do A.! e do bombeiro, que perdeu a vida para os tentar salvar.

o que me chocou foi as pessoas chegarem, darem os sentimentos à família, cumprimentarem os conhecidos e começarem a falar sobre qualquer outra coisa. em voz alta. agora imaginem dezenas de pessoas, todas a fazê-lo em simultâneo, num salão com má acústica. não houve ninguém que dissesse fosse o que fosse para relembrar o motivo de estarmos ali. se queriam falar de carros, férias, dos filhos, podiam ir para o exterior. para a maioria das pessoas, estarem ali ou estarem no arraial ali ao lado, era igual. foi isso que me chocou, não a aparente ausência de tristeza. e os filhos, os irmãos ou os cunhados nada terem feito para controlar isso, ainda me deixou mais chocada.

nos funerais da minha família, quando envolvem a família da minha mãe, há gargalhadas, há conversa. mas também há momentos para celebrar a pessoa que nos deixou. seja com sorrisos ou com lágrimas.

ali não houve nada disso. foram apenas umas dezenas de pessoas que ali foram. e isso não se enquadra em qualquer tipo de despedida que conheça.

24 comentários

Comentar post